segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Adeus, Terra de Bonecos!

até breve, anima títeres
por maneco nascimento

Assim se passaram dez anos, sem eu ver teu rosto, sem olhar teus olhos (...)” (Compositor: Rafael Hernandez – Versão: Lourival Faissal), sem beijar o contato direto e a alegria de reviver a felicidade plena que vêm de tua arte de ser feliz e contagiar de alegres histórias e memórias, o mundo em redor, de tua Tenda e teu mágico teatro de marionetes, títeres, fantoches, mamulengos e bonecos sesianos...
(cortejo de Bonecos Entre o Público/imagens m. nascimento)

Mas isto foi há uma década. Ainda ontem (sábado 22, domingo, 23, de novembro de 2014) a fantástica fábrica de riso e felicidade se fez, de novo, alma de títeres n’O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos.


Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos, instalou-se por uma semana, para montagem e construção do Templo animado e abriu os portões à visitação, no sábado e domingo. A praça da constituição de encantos e fantasias, o Paço da Pedro II (Aquidabã Sem Número), plantada no corredor Cultural da Cidade, foi passo de toda emoção e dramas e comédias.
(hora de desmontagem da Cidade de Bonecos/imagens m. nascimento)

A última, digo, a penúltima vez que o Sesi Bonecos do Mundo havia aportado em Teresina foi em 2004. Nesse novembro de 2014, + uma e outra vez a Rota dos Bonecos pegou curso dos ventos que levavam ao nordeste e, depois de Belém do Pará e São Luis do Maranhão, os carroções, caminhões, carretas, baús, “keisers”, mastros, lonas, tendas, palcos, engrenagens e um mundo de Bonecos fincou terra em Teresina, na Praça Pedro II. De 18 à 21, de novembro, foi erigida a Cidade dos Bonecos.
(circo desmontado da Terra de Bonecos/imagens m. nascimento)

No sábado, 22, o patrimônio arquitetônico intangível edificado recebeu ajustes e olhares da engenharia da cena e palcos iluminados e desses profissionais engenheiros civis, arquitetos, elétricos, eletrônicos, novos tecnológicos e técnicos e sua colônia de operariado especial. À tarde, a partir das 16h30, foi tempo de entrar, ver, confirmar, se integrar e interagir na vida de Bonecos, dada à comunidade visitante.

(Palco 1 em desmontagem/imagens m. nascimento)

Uma festa de regalar os olhos e guardar emoção no coração grande do público que recebeu uma enxurrada de alegria. Um mar de gentes compôs vida espectadora, ao teatro de manipulação e vida animados, em sua contrapartida de se fazer presente à cena d’O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos.

(começam a desfazer a Tenda da Alegria/imagens m. nascimento)

Rússia, República Tcheca, Hungria, Itália, Holanda, Peru, Moçambique, Cabo Verde (e seus animados pretos velhos, dançantes do kuduro) e um universo conspirado, de linguísticas do riso e do entretenimento, linguagens e diversidade manipulada, falou a mesma língua pátria aproximada, as falas e vozes sócio culturais de marionetes e cia. Fundiram-se com a terra brasis representativa de Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e outras casas animadas.
(o círculo da alegria em desmontagem/imagens m. nascimento)

Três palcos (Tablados de atos e ações cênicas e show), praça de transeuntes e artísticos interagidos (Entre o Público: cortejo de línguas e povos Bonecos animados), Pavilhão de Exposição (intervenções cenográficas e mundo exposto de marionetes), Barracas (Comida de Boneco, Feirinha de Mamulengos et al) e a Praça que é dos Bonecos e dos Povos e público presente.
(Boneco Peixe gigante da fila do cortejo/imagens m. nascimento)

Fernanda Takai deu o mote musical, delicado e mágico, com a presença também luxuosa do Grupo Giramundo, fechando a noite do dia 22 de novembro. Foi um show de público e comunicação estético plástica, sonoro musical e vida de Bonecos em-cantos, vidas, luzes, sons e tons da + velha língua que move o teatro, em uma de suas vertentes artísticas, as sonoridades, sonoplastia ao vivo, vozes e falas rapsodas, aedas, menestreicas revisitadas em Pato Fu, Fernanda Takai e Giramundo, que é gira!

Dia 23, domingo, era o da segunda e última noite dessa volta do Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos.  Abertura oficial do Bobo da Corte de Bonecos; Cortejos de Bonecos de terras estrangeiras e línguas comuns na arte e cultura praticada; Exibições de filmes produzidos nas praças e cidades por onde passou a Rota de Bonecos; espetáculos nos Palcos 1, 2 e 3; Pavilhão de Exposição, de portas escancaradas e o cerco, em redor, de atração de visitantes.

No cortejo de recepção do público, seres e personagens mitológicos (Minotauro, ou deus Ades pensador); carros heroicos e semi-deuses; cavalo de Troia e carroções de Bonecos Pássaros e Peixes gigantes mágicos;  personas primordiais, contemporâneas e sinalizadoras do mundo extra Mundo dos Bonecos; Piratas rapers e toda a alegria que o universo conspirador de títeres pode ofertar, gratuitamente, à recepção.

E espetáculos e títeres e marionetes e fantoches e mamulengos e toda vida animada que se pode ter e ver e sentir e encher os olhos de beleza e fantasia representadas no anima títeres d’O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos.

(o Boneco Peixe gigante que olha entre o céu, a Praça P2 e o Theatro 4 de Setembro/idem)

Bonecos piratas, gaivotas, marinheiros, peixes, gatos, Alice, Rainha, soldados de copas, coelho, Chapeleiro maluco-narrador, bailarinas, mágicos, trapezistas, dançarinas do ventre, céus e mares, terras e fogo dramáticos de rir, chorar, entreter, encantar e Ser marionetes e estar em sua maior diversidade e alegre presença.

O Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos, falou o Bobo da Corte de Bonecos, em sua apresentação oficial do evento que, ele mesmo, está nessa Rota de Bonecos desde o início. Que, como ator, adora estar envolvido nesse grande espetáculo e que lembrava da vinda a Teresina, porque no princípio a Rota voltou-se ao nordeste e, nele, estava o Piauí. Satisfação e alegria incondicional em também estar presente nesse evento que foi o Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos, de voltar uma década depois à Praça Teresina.
(público vê, através do telão, o Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos/idem)

A partir das 16h30, o evento retornou quente, no domingo, com sua força mágica. Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos, tem o patrocínio do Sesi, numa iniciativa da CNI Confederação Nacional da Indústria e Fiepi Federação das Indústrias do Piauí. Também teve apoio logístico estrutural da STRANS, SDU Centro Norte, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Civil, Humana Saúde, GVisa, PMT, Fundac, Governo do Estado e muita gente envolvida nos trabalhos que muito foram pontuais e certeiros.

(o Boneco Peixe gigante em descanso/idem) 

Navilouca Produções e Eventos navegou com rigor e labor aplicado para que nada perdesse o curso. Soraya Guimarães transformou-se em Boneco desde que houve sinal de que a Rota de Bonecos estava em curso para Teresina. Vingou muito, vingou horrores!

Me apaixonei por um boneco (...)” (Flor de Mamulengo/Luís Fidélis) ele neco, só de me deixar apaixonar, porque ele, já que ele só paixão e amor de dramas e comédias ofertados a toda a gente visitante veio ofertar. Mas era hora de encerrar essa temporada de riso, alegria, entretenimento, magia, encantos e fantasias de Bonecos.

(arquitetura tangível desmontada do intangível/idem)

O Sesi Bonecos do Mundo – 10 anos, veio para não ficar e vai para sempre voltar. A Tenda foi desmontada, a Terra de Bonecos começou a guardar suas vidas em baús, carroções, carretas, carros e coração de construtores e praticantes da arte anima títeres e público que ficou até o fim, dessa edição concluída.
(trilhos da desmontagem Sesi Bonecos do Mundo - 10 anos/idem)

Adeus, Terra dos meus sonhos. Adeus, Mundo de Bonecos. Saudades que vão e vêm em ondas de felicidade aguardam nova Rota de Bonecos à praça de Teresina. A Cidade de Bonecos guarda seu tempo de felicidade ofertada à cidade e deixa, em aberto, quem sabe nova agenda, quando os ventos marionetes virarem ao Piauí e sentarem passo, novamente, a O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos.
Evoé, Bonecos Sesianos!

domingo, 23 de novembro de 2014

Terra de Bonecos

Gigante!
por maneco nascimento

A cidade de Bonecos que atende pelo nome de Sesi Bonecos do Mundo recebeu, com assomo de felicidade, abraço de pura alegria contagiante e toda magia que o cerco de marionetes e cia. poderiam dar em troca da recepção que Teresina, curiosa e expressiva, apresentou à Tenda do anima títeres, n’O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos. Um circo de felicidade plena, dividida com quem não perdeu essa emoção.

(cortejo de bonecos no Sesi Bonecos 10 Anos: 10!/fotos m. nascimento)

Um mar de gente transitou pelos espaços das Exposições, exibição de filmes, feirinha de mamulengos, palcos de espetáculos a todas as propostas de teatro e linguagens de manipulares e vidas animadas, comida de bonecos e shows de “bola!”.

O público, em ativa participação, interagiu e se viu integrado nas intervenções cortejos de bonecos gigantes, mitológicos e representativos de culturas e histórias e memórias sócio culturais de terras estrangeiras de gigantes, pela própria natureza, sinal livre de compor, reviver, ativar o fantástico tempo e retroalimentar-se do tempo de arte e cultura de povos e línguas do teatro de títeres.

O público foi chegando de mansinho e quando se viu já eram homens, mulheres, crianças, idosos, pregoeiros, vendedores ambulantes, serviços públicos de proteção e agilização de transeuntes, profissionais envolvidos no evento, barraqueiros “bonecos”, bonecos expostos, bonecos vivos, bonecos falantes, bonecos rapers.

(na Praça, nos palcos, nos telões: Sesi Bonecos do Mundo 10 Anos e um mar de gente/imagem m. nascimento)

A Cidade de Bonecos foi invadida por um mar de gente, capitão! E o mar de gente foi tomado pelo vigor e overbonecos de expressão estéticos e plásticos de se fazer Ser, representar e estar teatro vivo.

Um mestre de cerimônias, o belo Bobo da Corte animada, o cortejo de carros, bonecos gigantes, artistas e artífices da alegria de aqui e alhures. O capitão Boneco pirata e seu ajudante imediato fizeram as vezes de abertura oficial de alegria cortejada e procissão dos grandes bonecos e suas cores de vida atraentes. Um Cavalo de Troia e seus piratas rapers invadiram a praia da Terra de Bonecos e, seguidos, por os “colonizadores” d’afelicidade. Vivos, misturaram-se entre o público cativo e preso na ação e emoção atomizadas.

Animado, o Gigante Boneco Minotauro, ou Deus Ades, em seu trono de atração. E bonecos e gentes e crianças e Estátua Viva (a grande Silmara Silva) com sua luz da vida, dada em porções ao público infantil de qualquer idade, através do tato e toque mágicos. Bonecos entre o público, bonecos nos palcos, bonecos nos telões, bonecos intervencionistas e expostos à curiosidade. Bonecos, viva!
(Boneca Lume [Silmara Silva] em luz, brilho e energia atomizada teatral/foto: m. nascimento)

Depois, de revividas histórias, memórias e falas sociais em línguas e linguagens diversas, era a vez de Pato Fu e Fernanda Takai e Grupo Giramundo dizerem: estamos aqui por toda a Cidade de Bonecos, trazendo em labor de suor e felicidade, música e voz afinada e econômica e pontual o tempo de show de praça reconhecido pelo + e mágico de rir, cantar e ser vida de bonecos artistas que vão aonde o povo está.

De sair de palhaços, caretas e máscaras e vidas ancestradas, modernos e contemporâneos sons e tons de quebrar a quarta parede e ser música, arte, teatro, vida de bonecos que cantam e dramatizam alegrias musicadas.

Giramundo show. Pato Fu e Fernanda Takai, sou show debruçado na janela escancarada da Casa e Terra de Bonecos. Noite imperdível, essa primeira entrada e bandeiras hasteadas no terreiro d’O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos.

Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos! Um patrocínio Sesi, iniciativa da CNI – Confederação Nacional da Indústria e apoio logístico da Fiepi – Federação das Indústrias do Piauí. Na produção local, Soraya Guimarães em Navilouca Produções e Eventos.

A cidade de Teresina e seus órgãos de apoio ao evento (STRANS, Corpo de Bombeiros, SDU Centro Norte, Polícia Militar e Polícia Civil, Humana Saúde, Fundac, Governo do Estado, PMT e toda a gente bonecos envolvida), um + integrado ao Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos.

Quem não viu o Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos, nas tarde e noite do dia 22 de novembro (sábado), na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número), ainda tem tempo de recuperar essa alegria perdida. Neste domingo, 23, a partir das 16h30, a Terra de Bonecos estará aberta à visitação gratuita. Até às 22 horas, há muito tempo para ser feliz.

Os convidados russos, italianos, moçambicanos, croatas, holandeses, tchecos, húngaros, peruanos, entre outros tantos e + muito expressivos, também, se juntam a anima brasis de marionetes vindas de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e falam a mesma língua mãe. Oralidades em amizade de fronteiras estreitadas à Vida de Bonecos.

Hoje tem Espetáculo de Bonecos? Tem, sim senhor! E só hoje, a partir das quatro e meia da tarde, no Paço da Praça Pedro II, seu passo entra em compasso ritmado do Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos. Até às 22 horas, você é o nosso com vida e dado à festa especial de vidas animadas. Não se distraia dessa alegria contagiante.

É vida de Bonecos que vem, que segue e que vai sem deixar espaço para tristezas. Teresina nunca + será como antes, depois dessa nova passagem da Rota de Bonecos. É Sesi Bonecos do Mundo. Pra que te quero? Para toda felicidade.

Só hoje, domingo, 23, das 16h30 às 22 horas. Entre, visite e nunca + deixe de Ser Vida de Bonecos.
(luz e brilho de ser e amar teatro. Boneca Lume é Silmara Silva é Sesi Bonecos do Mundo 10 Anos/imagem m. nascimento)


Serviço:                                                                                           
Sesi Bonecos do Mundo – 10 anos.
Na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número)
Das 16h30 às 22h
Entrada Franca!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Vida de Bonecos

toma de assalto feliz a Teresina
por maneco nascimento

Sim, boneco. Vou pegar. Mais tarde. Mais tarde eu te digo, boneco. Tô louca. Correndo. Boneca não come. Boneca não dorme. Boneca grita. Boneca fala. Boneca chora. Boneca pede. Boneca é feliz demais. Obrigada, boneco João e família. Amo vocês. Tudo fica melhor.(Vida agitada de boneco. A Boneca mãe local, em plena felicidade Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos, que está sendo gestado em Teresina/ contato 20 de novembro de 2014, às 23h12) 

A cidade só respira expectativas e vida desejada de bonecos, enquanto o canteiro da Obra Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos – ganha corpo e cara de alegria na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número).

A vida da produção e construção da cidade de marionetes se confunde com o drama de animação, em potencial, da vida de bonecos que gritam aos quatro cantos da cidade de Teresina. O anima títeres alardeia: Hoje é dia de espetáculo, encantos e fantasias!

Já de entrada, o comboio, em carreata aberta de bonecos, percorreu dia 20 de novembro (quinta feira) as ruas/avenidas da cidade verde (Frei Serafim, Barão de Castelo Branco, Ponte Estaiada, Avenida Raul Lopes, indo e voltando), distribuindo a beleza em fantástica alegria. Hoje, sexta feira, 21, uma Intervenção de riso e ato teatral invadiu a Praça Rio Branco, com seus baús e vidas ativadas. 

(produtora local[Navilouca Produções e Eventos] e boneca Soraya Guimarães registra a Carreata dos Bonecos/foto: Durvalino Couto)

Em revisita ao memorial de carroções clássicos e medievais que cortavam caminhos e aldeias e atraíam o público aos dramas e comédias d’larte, a carreata animada do Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos – visitou as ruas da cidade e sinalizou ao Maior Espetáculo da Terra de Bonecos, que estreia neste sábado (22) e segue até domingo (23), a partir das 16h30, na P2.

O chamamento à Teresina, do Sesi Bonecos do Mundo, abre os braços em convite de participação ao mundo da Tenda de marionetes, fantoches, mamulengos, títeres e bonecos em “over” alegria contagiante.
 (Palco principal à vida de Bonecos/foto: m. nascimento)

Anima mundi marionetes é no SeBonMundi – 10 Anos e será todo das personagens dramatizadas que rirão, intervirão nas conversas e risos dos visitantes da Tenda e correm, não precisam comer, a não ser das risadas infantis, de que se alimentam. Não dormem, só quando descansam das mãos dos manipuladores. Bonecos gritam, falam, choram, pedem atenção. São felizes D+ em dramas e comédias representados em seu teatro de amor dedicado a seu público.

(um mundo aos Bonecos/foto: m. nascimento)

É assim que a maratona do riso e do entretenimento fará praça na Rota de Bonecos que virou-se à Teresina e, só deixa a cidade quando o final de semana passar e todos tenham convivido com os conspirados e conspiradores da alegria do Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos.

Depois de uma década, SeBonMundi à Casa retorna. A última que vez que por aqui passou, foi no tempo da areia em que fazia poeira de felicidade na Praça Pedro II.

(trilhos na trilha da alegria, o canteiro da Obra/foto: m. nascimento)

A produtora local, vide Navilouca Produções e Eventos, Soraya Guimarães diz mano, é demais, mano! É muita felicidade, é alegria demais e o trabalho é compensador”, confessa. E acrescenta,a carreata dos bonecos foi tudo, mano. Um sucessoe sinaliza A STRANS foi demais, quando chegávamos nos cruzamentos, já estavam os batedores, nas motos e carros, abrindo novos caminhos. Demais”, aponta, satisfeita com os serviços da cidade oferecidos ao Sesi Bonecos do Mundo.

Aproveitou ainda para agradecer os Pais locais dos Bonecos, " o STRANS, SDU Centro Norte, Humana Saúde que ofereceu duas UTIs, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Civil, GVisa, PMT, Governo do Estado” que, segundo a produtora, estão sendo imprescindíveis ao Sesi Bonecos do Mundo.

Soraya finaliza,agradecer também a todas as empresas, pessoas envolvidas que são muito importantes, mano”. Essa empreitada de Bonecos, na cidade, tem tradição e quando aprendeu o caminho das Índias, desembarcou por aqui.

Em 2004, a história do cerco de bonecos deixou um rastro de quero +. Uma década depois, tamos de volta, travez!dizem os titereiros, mamulengueiros, fantocheiros, bonequeiros e marioneteiros com suas mágicas mãos e dedos de anunciação do teatro e suas línguas calientes à emoção consentida na paixão de manipulares.

As línguas e linguagens confluem à mesma sintonia. Babel traduzida e concentrada nas falas e vozes sociais russas, holandesas, italianas, tchecas, italianas, hungras, peruanas, entre outras linguísticas irmanadas, e se vertem de amizades em rompimento de fronteiras e vestem-se à rede da amizade com as oralidades brasis pernambucanas, potiguares, piauienses, mineiras, paulistas, gaúchas e brasilienses.

(casa da culinária típica/foto: m. nascimento)

Patrocinado pelo Sesi, numa iniciativa da CNI – Confederação Nacional da Indústria, o Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos -  revela-se em apoio logístico da Fiepi – Federação das Indústrias do Piauí e na produção local dinamizada pela Navilouca Produções e Eventos, de Soraya Guimarães.

Devore exposições, intervenções cenográficas, cortejos de bonecos e bonequeiros, feirinha de mamulengos, show da Banda Pato Fu com bonecos do Giramundo, exibição de curtas-metragens e comidas típicas. 

Só há chances de ver e sentir e viver O Maior Espetáculo da Terra de Bonecos, neste final de semana. Onde? Em Teresina. Quando? Nos dois dias desse novembro. Sábado e Domingo, 22 e 23. Onde? Na Praça Pedro II. Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos.  Urra!

É muita vida em animados pregoar da persona Boneco. Hoje é dia de espetáculo? Também. Na Praça João Luís Ferreira, centro da cidade. Teatro Intervenção Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos, às 4 da tarde. 

Mas quando sábado e domingo chegarem, muito + diversão ganha força na Praça Pedro II. Hoje tem espetáculo? Tem sim, senhor! É na João Luís Ferreira, 16 horas, sem falta.

E amanhã (sábado, 22) e depois de amanhã (domingo, 23), também, na Pedro II. Então, corra pra alegria que ela está de portas abertas na cata de seu só riso.

(Ades pensador no anima títeres/foto: m. nascimento)

Títeres e Marionetes. Urra! Fantoches e Mamulengos. Oba! Bonecos anima mundi. Viva! Oba! Urra! 

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O canteiro da Obra

Sesi Bonecos do Mundo já na Praça Pedro II
por maneco nascimento

Estão em avançados serviços de conclusão a montagem do Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos. Desde o dia 18, terça feira, quando as carretas Sesi Bonecos do Mundo abriram suas portas e descarregaram  as estruturas ao Maior Espetáculo da Terra de Marionetes, Fantoches, Mamulengos, Títeres e Bonecos, que a Praça Pedro II tomou outra cara. 
(imagens dispositivo móvel/maneco nascimento)

A cara de Boneco ganhou a P2 em conspiração para receber as verdadeiras personagens do anima títeres. Até sexta feira, 21, deve estar concluída a fase de montagem da Tenda de vidas animadas. 
O fantástico mundo de manipulação e vidas animadas está plantado na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número) e, a partir do dia 22 (sábado) até 23 (domingo) desse novembro, a cidade terá toda a curiosidade compensada. 

Das 16h30 às 22 horas Teresina será invadida pela felicidade de marionetes e o público poderá passear pelo mundo fantástico de manipulação e animado teatro de bonecos na Tenda da alegria.
A Rota dos Bonecos, voltada à cidade desde o dia 17 de novembro, quando foram iniciadas as Oficinas Teresina Sesi Bonecos do Mundo, que a capital do sol do equador respira vida de títeres. Duas Oficinas foram disponibilizadas à comunidade e estão sendo realizadas na Sede do Fiepi, ao lado do Estádio Albertão, no Edifício Albano Franco, bairro Redenção.

1 - Confecção, Composição Cênica e Dramaturgia de Animação, com o brasileiro Marcos Ribas. Carga horária de 20 horas, turno tarde, das 14 às 18 horas e 2Fazendo e Manipulação de Marionetes, com o russo Viktor Antonov, para uma Carga horária de 12 horas, no horário da manhã, das 09 às 12 horas. São cinco dias corridos de práxis de criar, manipular e dramatizar o mundo de Bonecos.

Tanto os serviços de construção da Cidade dos Bonecos, iniciados terça feira, 18, quanto as Oficinas Teresina Sesi Bonecos, serão concluídas na sexta, 21. Ao fantástico mundo da magia e encantos manipulares, construído na Terra da felicidade, toda atenção será pouca, cada olhar teresinense será ao Maior Espetáculo da Terra de Bonecos.
O sábado está reservado ao arremate das conspirações do universo de marionetes. Evento planejado e patrocinado pelo Sesi, numa iniciativa da CNI – Confederação Nacional da Indústria, detém em Teresina o apoio logístico da Fiepi – Federação das Indústrias do Piauí e a produção da Navilouca Produções e Eventos – Soraya Guimarães.

Toda alegria e intervenções nacionais e internacionais tomam, de assalto feliz, a Praça Pedro II, no sábado, 22, a partir das 16h30. O cerco da fantasia reúne Artistas da Itália, Peru, Hungria, Holanda, República Tcheca, Rússia, entre outros países, em interação com profissionais brasileiros de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul.

Exposições; intervenções cenográficas; carreatas de aproximação e cortejos de bonecos, bonequeiros e oficinados; feirinha de mamulengos; show da Banda Pato Fu com bonecos do Giramundo; exibição de curtas-metragens e comidas típicas abraçam os visitantes da Tenda animada, em Teresina, nos dois dias de Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos.

Até às 22 horas, com início às quatro e meia da tarde, neste sábado e domingo, 22 e 23 de novembro, a cidade poderá entrar na Tenda da magias e encantos do títeres mundi e curiar, espiar e curtir a alegria contagiante do Sesi Bonecos do Mundo, no Largo da Praça Pedro II.

Serviço:
Sesi Bonecos do Mundo – 10 Anos
Dias 22 e 23 de novembro de 2014
Na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número)
No horário das 16h30 às 22 horas
Informações: 3232.8206/ 9946.2613 / 8156.4624 Emails contato:
sorayathe@yahoo.com.br//manecomano14@hotmail.com

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Evoé, artistas

da cena e palco piauienses
por maneco nascimento
“(...) aquele que descobriu a geometria e se reconhece mortal, aquele que experimentou a extrema tensão de seu ser e conhece seus limites, esse, somente esse, possui a têmpera trágica (...) Os gregos foram os primeiros a ver que o Destino, para se cumprir, exige a ação da liberdade. O Destino se apoia na liberdade dos homens; melhor dizendo: a liberdade é a dimensão humana do Destino. Sem os homens, o Destino não se cumpre e a harmonia cósmica se rompe.” (Paz, Octavio. O Arco e a lira. Tradução de Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982. 370 p. [Coleção Logos]. pag. 252)

Na matemática em ciência dramática a construção da personagem vem carregada de memórias afetivas e experiências que o fingidor reapropria à cena e arma o exercício do exercício de persuasão e, quando em melhor performance, toma de sobressalto a atenção da recepção envolvida. Liberdade e Destino de compor destinos das personagens em busca de ator/atriz, incentivadas aquelas pelo autor das carpintarias dramáticas.

A tragédia é uma imagem do cosmo e do homem (...) Todos os atos trágicos, todos os conflitos, podem ser reduzidos a isto: a liberdade é uma condição da necessidade (...) Para o grego a vida não é sonho, nem pesadelo, nem sombra, mas gesta, ato no qual a liberdade e o destino formam um nó indissolúvel. Esse nó é o homem. Nele se atam as leis humanas, as divinas, e as leis não escritas que regem as ambas. O homem é o fiel da balança, a pedra angular da ordem cósmica, e sua liberdade impede o regresso do caos original.(Idem)

Todo novembro, já há três edições, artistas da cena se reúnem para conhecer os premiados do ano em concurso. Em 2014, o Prêmio Os Melhores do Ano do Teatro Piauiense teve palco de acontecimento no dia 17, a partir das 19h30, no Theatro 4 de Setembro. Ali, reunidos, atores, atrizes, iluminadores, figurinistas, sonoplastas, cenógrafos, diretores e autores piauienses, ou radicados no estado e produtores, incentivadores, grupos em destgaque e homenageado.

Prospectar destinos, revisitar conflitos, engendrar ações de dramas e comédia de caráter político aristofânica, ou de livre arbítrio de cumprir ritos de cena,  o intérprete do teatro vagueia entre o próprio caos, na emergência de assuntar ao cosmo e transmigrar aos divinos da dramaturgia primitiva, mímesis da própria condição de ser e estar em vida de teatro. Assim se propõe o artista da cena e, em reconhecimento, se inscreve no livro de concorrência e premiados.

Era noite de renovar os premiados, atuantes durante o ano de 2014. A Comissão selecionadora acompanha as montagens e, quando entra novembro, se reúne e lança a Tábua dos Indicados à concorrência de premiados. 

Na sequência, em ritual de finalização das discussões que levam às indicações, chega a hora de apontar os finalistas entre os concorrentes. Sai então, no dia em que acontecerá a entrega do Prêmio, os nomes laureados ao MeATeaPi 2014.
(Exercício Sobre Medeia[Silmara Silva], imagens acervo Piauhy Estúdio das Artes)

Levaram para casa, este ano, o Troféu de Melhores da cena estadual, os seguintes artistas:
Melhor Ator – Adalmir Miranda – por Palha Assada (Grupo Oficinão)
Melhor Atriz – Silmara Silva – Exercício sobre Medeia (Coletivo Piauhy Estúdio das Artes)
Melhor Ator Revelação – Romário Ferreira – por Palha Assada (Grupo Oficinão)
Melhor Atriz Revelação – Érika Jump – por A Caixa de Vinícius (Coletivo Cabaça, de Parnaíba - PI)
Melhor Diretor – Wander Lima – por Secante (Épica Cia. de Criação)
Melhor Autor – Walfrido Salmito – por Umas e Outras de João Trancoso (Cia. Pé de Moleque)
Melhor Figurinista – Iraci Costa, Everk Amorim e Ianês Silva - por Quem Roubou a Minha Luz (Os Tais de Teatro, de Floriano - PI)
Melhor Sonoplastia – Criação Coletiva – por Secante (Épica Cia. de Criação)
Melhor Iluminação – Renato Caldas – por Secante (Épica Cia. de Criação)
Melhor Cenografia – Wilson Costa - por Secante (Épica Cia. de Criação)
Produtor Destaque do Ano - Vitorino Rodrigues (VR Produções)
Grupo em Destaque – Coletivo Piauhy Estúdio das Artes
Homenageado – César Crispim (de Floriano - PI)
Empresa Incentivadora do Teatro – Sesc Regional (Piauí)
(Prêmios: Grupo em Destaque 2014 e Melhor Atriz 2014[Silmara Silva], imagens acervo Piauhy Estúdio das Artes)
(Vitorino Rodrigues - Produtor Destaque 2014 - sanduichado pelos colegas de cena Antoniel Novayz e Márcio Felipe/imagem acervo VR Produções)


Com um público de artistas e concorrentes e a ausência de uma boa parte da classe que deve ter tido melhor agenda para a noite, o evento deu-se com ritos e rituais às formalidades e glamour de festa de premiação.

Entre as presenças destacáveis, Lari Sales, atriz e presidentes do SATED-PI; Vera Leite, atriz piauiense, radicada atualmente em São Luís do Maranhão; Roger Ribeiro, ator e diretor de teatro em Teresina e Timon (MA); Luiza Miranda, cantora de erudito e popular e facilitadora de técnica vocal da “Gomes Campos”; Josy Brito, diretora da Casa da Cultura de Teresina; Francisco Pellé, ator e produtor cultural; Airton Martins, ator e presidente emérito do Grupo Harém de Teatro; atores e atrizes da Escola Técnica de Teatro do Estado “Professor Gomes Campos” e o público da plateia dos cem.

Entre os discursos de recebimento do Troféu, um mereceu destaque. César Crispim, ator, diretor, produtor executivo de teatro e agitador cultural da região da Princesinha do Sul, a velha e charmosa Floriano, falou da encolhida integração entre o teatro da capital e o do interior. Lembrou que, em anos passados, havia + espetáculos visitando o interior, especialmente sua cidade às margens do Velho Monge.

Também lembrou, Crispim, do encolhimento dos incentivos a projetos culturais e das indicações à cabeça de cargos chaves, como a cadeira da Fundac (estado) e a da FMC (fundação municipal de cultura), que são entregues a representantes de acordos políticos, em detrimento de pessoas melhor afinadas com as políticas públicas de cultura, que ficam sujeitas a políticas de cultura de governos.

Representantes destas duas instituições, Fundações culturais do estado e da cidade de Teresina, devem ter encolhido nas cadeiras em que assentaram seu poder indicado de política de coalizão e acomodação de acordos de gabinetes políticos. Diga-se, que segundo o senso comum dos acordos de troca de mandatos por secretarias, é o que garantem os chefes de executivos eletivos, seria a garantia de administração do mandato.

Nas palavras à maior reflexão dos artistas da cena, regurgitadas por César, cargos culturais entregues a determinadasfiguras que ajudaram a eleger o político" que passa a ser gestor do executivo estadual, ou municipal.

César Crispim reiterou a necessidade dos artistas, a classe artística no geral, cobrarem + dos executivos de cargos públicos, quando houver a indicação de gerência cultural, de modo que possam as gerências ficar em mãos de pessoas com maior autoridade para direcionar assuntos da arte e cultura e dar perfil + sócio cultural, em vez de palanque de visibilidade própria à plataforma de futuro candidato (grifo meu).

Houve quem creditasse o discurso do artista ser de caráter apreciativo, ou de natural indicação às mudanças que possam ocorrer na cultura do estado, quando janeiro chegar. Prefiro acreditar que o crédito deva ser dado à preocupação de revitalização artístico cultural do Piauí e integração de maior penetração do fazer artístico, enquanto chegue em maior escala nas praças interior adentro, que também querem consumir cultura.

Aci Campelo, um dos criadores do Prêmio, através da A&C Assessoria e Promoções Culturais, em parceria com a Grande Otelo Cia de Teatro (Jesus Viana e Edson Jr.), ainda, na abertura do evento, agradeceu as parcerias e amigos contribuintes ao sucesso daquela noite. E afirmou a necessidade, já praticada nas edições da premiação, que abre visibilidade aos profissionais da cena local.

Premiados e indicados do palco piauiense deixaram, então, a Casa Templo da Cena (4 de Setembro) e seguiram ao Bar do Clube dos Diários, onde armavam-se preparativos à eleição ao Prêmio Cobras do Ano 2014.

Evoé, artistas de dramas e comédias piauienses!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Parto Normal. Natural?

Como se dá e quem sai às perdas e danos
por maneco nascimento


Planejar, sonhar, ter filhos, constituir família, esta uma prerrogativa de qualquer cidadão, cidadã em qualquer rincão brasileiro. 

O estado tem sua parcela de contribuição e obrigação de retorno do contributo do constituidor de impostos brasileiro que abre expectativas na hora de precisar do serviço publico de saúde.

Então, para a mulher, ser mãe implica ter acompanhamento do serviço público de saúde, quando só este for a opção de sobrevivência, ou o da rede privada quando puder dispor desse serviço particular. Para muitas brasileiras sobra o caminho do serviço de saúde pública e seus desdobramentos de atendimento e perspectivas de proeficiência.

Quanto a ter o(a) filho(a) em parto normal, ou sofrer uma incisão de recuperação do bebê, via cesariana, antes que este venha a ter comprometido seus primeiros contatos, com o ar exterior, em vistas de “as falhas”, descuidos, descasos e, por vezes, omissão de atenção ágil com as parturientes que recorrem à rede pública de saúde.

O estado, através de seus órgãos de planejamento, assistência e atenção básica às futuras mamães, mostra sinais e direciona perspectivas de bem estar e melhor caminho não só para ampliar saúde plena, como modificar estatísticas de custos e ameaças à saúde da mulher. O Ministério da Saúde e ANS ditam novas perspectivas.

[Nesta terça-feira (14), o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciaram uma série de medidas que visam evitar a realização de cesarianas desnecessárias no Brasil e ampliar a realização do parto normal. Essas propostas serão colocadas em consulta pública a partir desta quarta (15).

A primeira resolução é que, independentemente de estarem grávidas ou não, as mulheres poderão solicitar as taxas de cesáreas e de partos normais de cada médico e de cada estabelecimento de saúde. “Respeitar a mulher é acima de tudo disponibilizar a ela todas as informações sobre o parto normal e fazer com que o parto cirúrgico seja adotado apenas quando indicado”, ressaltou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Além disso, as mulheres também terão acesso a um partograma: um documento que trará em detalhe informações sobre a mãe, o bebê e o desenvolvimento do trabalho de parto, como dados sobre a dilatação e as contrações. “Com o partograma, será possível identificar a realização das cesáreas sem indicação médica. No entanto, mais do que adotar medidas coercivas, a ANS acredita que é necessária uma mudança de cultura”, explicou o diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), André Longo (...)

Os números no Brasil              
De acordo com um estudo divulgado em maio, o índice de cesarianas no Brasil alcança os 52%, chegando a 84% quando se fala na rede privada de saúde. Temos a segunda maior taxa de cesáreas do mundo (ficando atrás apenas do Chipre). A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, é que a taxa de parto cesárea fique em torno dos 15%. A pesquisa, batizada de Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento, foi feita pela OMS em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e acompanhou 23.894 gestantes em maternidades públicas, privadas e mistas em todos os estados durante o pré-natal e o parto.

O estudo mostrou também que, apesar de 70% das mães desejarem ter um parto normal no começo da gravidez, apenas 15% tiveram o pedido atendido pelos médicos na rede privada. No Brasil, muitos fatores pesam a favor da ampla realização de cesáreas. Um deles é que os partos acabam sendo apenas mais um compromisso para os médicos, que muitas vezes não conseguem esperar a quantidade de horas que o parto normal geralmente demanda. Por outro lado, há mães que, por medo de sentir dor, de haver alguma complicação no parto ou por pura falta de orientação, acabam optando pela cesárea.”] (revistacrescer.globo.com: Ministério da Saúde e ANS anunciam medidas para incentivar o parto normal no Brasil//Por Naíma Saleh - 14/10/2014 18h17 - atualizada em 14/10/2014 18h17/acesso 04.11.2014, às 13h01)

Para o Ministério da Saúde, em seu discurso de tecnificiência, segundo matéria da revista crescer, “a intenção das propostas é ampliar o acesso das mulheres à informação e investigar os casos em que a cesárea é realizada sem necessidade”.  

Na teoria as intenções são as melhores e nada condenáveis. Na prática, no dia a dia, o mundo das futuras mamães às vezes ganha complicações e possíveis riscos de comprometimento das vidas destas e de seus bebês, quando as regras e interesses seguem à risca determinações do estado. 

No Piauí, Teresina, o cotidiano do Hospital Maternidade "Dona Evangelina Rosa", do estado, e das maternidades-bairros, as municipais, apresenta números e descuidos que vão desde deixar a mãe sofrendo, passam uma semana esperando, esperando, por vezes em forçosa práxis hospitalar de imposição de um parto natural, que por vezes não acontece e cria uma desnecessária ação ao cumprimento da regra que mata muitos bebês, deixa sequelas graves na criança e na mãe. Quando, na emergência de concluir, em parto cesariano, o que jamais ocorreria de forma normal, algum comprometimento já ocorreu ao bebê, isso em casos em que não se acrescentou a taxa de mortalidade materno-infantil.

Médicos despreparados e ou ausentes do local do trabalho, hospitais entregues a acadêmicos, enfermeiros-obstetras, ou enfermeiros não especialistas e técnicos, e uma regra que o parto deve ser natural doa a quem doer e não puder recorrer a uma via alternativa, ou outro serviço fora dos corredores do cotidiano da saúde pública do país.

Em Teresina, a parturiente Denylle Roberta Nascimento, mãe de primeira viagem, pobre e moradora de um bairro das franjas sociais da cidade verde, fez o pré-natal em seu bairro, através do PSF. Há quem credite que só acompanhada, de verdade, pela enfermeira do projeto. Mas acompanhada e, agendado o período de ter seu bebê para o dia 04 de novembro de 2014. Os prazos foram sendo vencidos e a mãe e a família recorreram ao Hospital Maternidade Dona Evangelina Rosa. Embora ela estivesse sofrendo contrações e em seu prazo de ter o bebê, foi atendida por um acadêmico que fez os primeiros atendimentos. 
(imagem divulgação Hospital Maternidade "Dona Evangelina Rosa") 

O médico de plantão não estava na Casa. Chegou  às 8h30, já com muito atraso de seu horário de trabalho que deveria ser de entrada às 7 horas. Examinou a paciente e recomendou que ela voltasse pra casa. 

Embora todas as contestações dos familiares e os sinais de que a mãe estaria em sua hora de parir, o médico obstetra plantonista mandou-a de volta pra casa, assegurando que ela deveria aguardar a dilatação para o parto normal. 

Liberada pelo médico obstetra, Roberta e seus familiares recorreram a uma clínica da rede privada da capital. Na clínica foi atendida pelo doutor Nascimento, médico aposentado da Evangelina Rosa e um dos mais respeitáveis obstetras piauienses. 

Responsável pelo nascimento de muitas crianças em Teresina, o médico ao atender a mãe recomendou a imediata cirurgia, atestou que a parturiente não teria o bebê, em circunstâncias nenhuma, de forma normal. 

Realizado o parto cesariano, a criança nasceu bem, a mãe ficou bem e mais uma vez a experiência e a prática humanizada, para perceber quando é hora de tomar a decisão certa e romper a rigidez da regra exigida pelo negócio e serviço público de saúde, salvou uma situação. 

Na clínica da rede privada, a cirurgia custou a soma de R$ 3.000,00 (três mil reais). Sorte da família que pode reunir, na emergência, essa quantia em dinheiro e possibilitar a resolução de uma situação criada para manter partos normais, mesmo quando estes não sejam possíveis.

Não que os partos normais não sejam os melhor recomendados, são. Mas quando não possíveis, as mães e familiares têm o direito cidadão de entrarem na escala de exigir e serem atendidos ao parto cesariano.

As estatísticas mostram que mães e bebês também estão nas escalas de morte, por ficarem à mercê de serviços públicos de saúde ineficientes, descasos de profissionais da área médica que forçam a manutenção de partos normais, mesmo quando estes não se concretizarão, por falta de condições naturais da mãe. 

As que só dependem do serviço público da saúde terão que ter muita sorte para encontrar o médico de plantão, no local de trabalho, e este ser sensível o suficiente para perceber que, às vezes, a ciência e a medicina podem tomar a decisão certa e valorizar qualquer mulher e futura mãe, independentemente dela ser pobre, da periferia, ter tido um acompanhamento pouco eficaz no pré-natal e não ter dinheiro para buscar uma alternativa, na rede privada de saúde, quando a dor aperta e a saúde de seu bebê comece a ficar comprometida.

A mãe Denylle Roberta Nascimento pode, emergentemente, ter a decisão da família e recorrer a outra opinião médica. Essa família teve essa boa sorte, mas nem sempre pode ser assim para muitas outras. 

E os desdobramentos, os mais diferentes possíveis, assomam testemunhos e experiências diversas nos corredores e plantões do Hospital Maternidade Dona Evangelina Rosa e hospitais-maternidades de Teresina.

Então o parto normal pode ser prerrogativa do Ministério da Saúde e ANS, mas não pode ser a regra inquebrantável para mães pobres e dependentes exclusivamente do serviço da rede pública de saúde.  

Carretas Sesi Bonecos do Mundo

aportaram na P2
por maneco nascimento


Contagem regressiva, faltam 5 dias para o Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos. As carretas já aportaram na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número) e desembarcaram a tenda do anima títeres. 

(imagens dispositivo móvel/ maneco nascimento)

De terça feira, 18, até sexta feira, 21, a P2 tomará outra forma e será erguido palco do maior espetáculo da Terra de Bonecos.

Espetáculos, feirinha de fantoches, performances, intervenções cenográficas, exibição de curtas-metragens, culinária típica e grande show da Banda Pato Fu com os bonecos do Giramundo serão só uma amostra do mundo de fantasia e alegria que a cidade de Teresina terá quando o final de semana chegar.  

Projeto patrocinado pelo Sesi, numa iniciativa da CNI - Confederação Nacional da Indústria, o Sesi Bonecos do Mundo tem apoio logístico, em Teresina, da Fiepi - Federação das Indústrias do Piauí. A Produção Local é da Navilouca Produções e Eventos - Soraya Gimarães.

Nos dias 22 (sábado) e 23 (domingo) desse novembro,  todo o mundo estará voltado para a Praça Pedro II, com olhares de alegres expectativas de todos que não perderam o encanto de ser criança.

Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos já marca presença no Corredor Cultural Praça Pedro II - Theatro 4 de Setembro - Cine Rex - Centro Artesanal "Mestre Dezinho", no entremeio das Ruas 13 de Maio e David Caldas. 
Quem quiser acompanhar os serviços de montagem da tenda do Sesi Bonecos do Mundo é só correr à Praça Pedro II e conferir o mundo que está sendo descarregado na terra que receberá a alegria das marionetes et al. 
 A Rota dos Bonecos voltou-se à Teresina e a vida do anima títeres vem chegando devagarinho, monta o cerco e foca no circo da felicidade para os dias de total emoção em teatro de manipulação do Peru, Itália, Holanda, Hungria, Rússia, República Tcheca, entre outros países, que interagem com o Brasil de Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Não perca o fio dessa história. Sesi Bonecos do Mundo bem aqui, pertinho de você. 
Quando chegar o final de semana, o mundo será de toda a Teresina que recebe os Bonecos do Maior Espetáculo da Terra.

Curta essa fantasia!


Serviço:
Sesi Bonecos do Mundo - 10 Anos
dias 22 (sábado) e  23 (domingo) de novembro
das 16h30 às 22 horas
na Praça Pedro II (Aquidabã Sem Número)
Contatos/Informações: (86) 3233 9367//(86)- 9946-2613//(86)-9514-8466//(86) 95191902.

Cobras do Ano 2014

+ cobras, Impossível.
por maneco nascimento

A noite do dia 17 de novembro, desse 2014, foi de muita alegria, diversão e cobrisses altamente saudáveis.

 Após a entrega dos Melhores do Ano do Teatro Piauiense 2014 (realizado por Aci Campelo, Jesus Viana e Edson Jr.), o público percorreu trilhas, caminhos e veredas paralelepipedadas e se acomodou no Bar do Clube dos Diários à festa de confraternização do MeATeaPi 2014 e aos trabalhos de eleição da Cobra do Ano 2014.

Festa regada a coquetel e encontro e despedidas dos premiados às duas Atrações (Teatro e Cobras 2013) e passagem de faixas aos agraciado(a)s do Ano 2014. O Prêmio Cobras do Ano 2014 – Ano Humberto Pequeno, mas com peles + velhas que o mundo - recebeu à esta versão as seguintes categorias concorrentes:

Cobra Coral – listada, ou cinza grená – mas o matiz tá na presa postiça; Cobra AiAiAi – não envenena espetáculo contemporâneo, mas papa um bom pintassilgo em destiladas interjeições; Cobra Coitadinha – faz caras e biquinhos de pobrezinha perseguida, mas se aparecer uma perseguida, papa, depois de inocular olhinhos de atração; Cobra Polêmica – filha da encrenca e prima do disse que me disseram, sempre tem razão de sobra, mas nada de presas aprisionadas pra mordiscar; Cobra Virtual – tá sempre por trás de um fake, falsa até quando as operadoras nada destilam, mas quando se enroscam na rede não há presa que escape.

(imagens divulgação dos bichinhos, inocentemente, originais)

Durante o sufrágio, houve a parte cultural musical. Abriu o expediente, Esaú Barros e seu bom repertório Pop Rock MPB afinado. Na sequência, Ernani Filipe também deu seu ar de graça musical e, antes que a contagem dos votos às eleições do Cobras do Ano 2014 fosse realizada, Rosinha Amorim e seu parceiro de violão luxuoso, Rubeni Miranda, deram a cancha improvisada. A voz de rouxinol, em pérolas da MPB, marcou a festa. Como disse a atriz Vera Leite, Rosinha continua a mesma, é pura juventude em voz e tempo de existir.
(cobra Rainha/imagem divulgação)

Com o tema, Seja Cobra. Indique-se ou Indique, o Cobras do Ano 2014 abriu, no mês de novembro, até os últimos minutos que antecederam o fechamento da urna, tempo de votação. A Comissão de Cobrisses pré-indicou candidatos à abertura de possibilidades de eleitos.

Os candidatos pré-indicados às Cobras específicas. Cobra Virtual: a jornalista Deborah Radassi, o jornalista e professor de inglês, Eugênio Rêgo e o produtor cultural e ator Francisco Pellé; Cobra Coral: ator Edson Jr., ator e diretor Siris, produtor cultural Walfrido Salmito; Cobra Polêmica: a musicista Carla Ramos, a atriz Reijane Dias e o compositor Zé Marx; Cobra AiAiAi: o ator e diretor Avelar Amorim, o ator, diretor e produtor cultural Vitorino Rodrigues, o coreógrafo bailarino Samuel Alvis; Cobra Coitadinha: o ator e diretor Adalmir Miranda, o ator Lívio Bastos, o jornalista Kenard Kruel; Cobra Virtual Internacional - Prêmio Especial -: João de Brito (EUA), Irene Lima (Londres), Valdemar Santos (Brasília – DF - Brasil).

Levaram a pele nova da Cobra rainha do Ano, Siro Siris, com 10 votos (Cobra Coral), vencendo Francisco Pellé, 07 votos e Reijane Telma, 04 votos; Avelar Amorim, com 09 votos (Cobra AiAiAi), passando a perna em Adalmir Miranda, 05 votos e Edson Jr., 04 votos; Adalmir Miranda, com 08 votos (Cobra Coitadinha), em superação às peles lustrosas de Francisco Pellé, 04 votos e Kenard Kruel, 03 votos; Reijane Telma foi eleitíssima com 10 votos (Cobra Polêmica) e deixou no ninho de ovos eclodidos as cobras, já criadas, Carla Ramos, 04 votos e Zé Marx, 03 votos. 

Como tradição de polemizar, a vencedora Reijane Dias contestou o resultado de seus votos, alegando ter computado, no paralelo, 17 votos. Os juízes eleitorais não discordaram, mas justificaram que a média de 10 votos já garantia um grande resultado e o excedente poderia ser ofídico às outras Cobras eleitas.

O artista Francisco Pellé foi diplomado com o Cobra Virtual, 07 votos. Engoliu as outras concorrentes Deborah Radassi, 06 votos, e Eugênio Rêgo, 04 votos. A Cobra Virtual Internacional – Prêmio Especial - deu bote certeiro, sem muita surpresa, a João Brito, 08 votos. As concorrentes, calcanhar a calcanhar, Irene Lima papou 06 votos e Valdemar Santos, 04 votos.

Cobras premiadas, receberam assim: Cobra Coral (Siro), um búzio para ouvir o sibilar das cobras marítimas e manter comunicação. Cobra AiAiAi (Avelar), um cortador de unhas para confundir as interjeições de aiaiai!, sejam de dor ou proteção de ofendidos; Cobra Coitadinha (Adalmir), um jogo de dados para distrair-se nas horas de descanso de coitadisse-me. Cobra Polêmica (Reijane), cd Batuque Elétrico para tirar um jingle a sua campanha a vereadora, que tem como plataforma investir em recursos ao Butantã e, por fim, Cobra Virtual (Pellé) agraciado com uma máscara, já que tão fake, precisa de uma máscara para se disfarçar.

Ainda houve os Prêmios ultra Especiais. Cobra que Inferniza, dá o bote e some sorrateiramente. Essa graça ficou com o ator Francisco de Castro. O Cobra Cupim, especial a dramaturgos e aspirantes à arte de carpintaria dramática, foi levado em missiva especial por Avelar Amorim ao ator Waldílio Siso. A ausência, de cobrisse premeditada, não o livrou da comenda chocada na observação dos rastros deixados. 

Nos últimos instantes da apuração dos votos, chegou via Sedex, à cobra AiAiAi, um voto anônimo para  Marcelo Evelin. 

Cobrisse de boca de urna foi artimanhada por Ricardo Totte e Clênya Moreira que, além de venderem seus respectivos votos, ao preço de mercado das cobras, ainda fizeram campanha, à “boca da matança”, ao ator Francisco Pellé.

O cobra à cobra, em campana de Totte&Clênya, da hora, desbancou o possível eleito, em pesquisa realizada pela Instituto DataCobra que dava a Eugênio Rêgo 89,98% de percentual a eleito. Eugênio, por favor, não faça o prometido, que seria falar mal do evento, caso não eleito. Procure o morador da Rua Rui Barbosa e acerte com ele. 

Destilados os “venenos”, de pura cobrisse sem qualquer maldade, encerrou-se os serviços eleitorais da noite do Cobras do Ano 2014 – Ano Humberto Pequeno, mas com peles + velhas que o mundo.

Registros, na festa, da presença de Chico Castro, jornalista; o dramaturgo e um dos criadores do Prêmio Melhores do Ano do Teatro Piauiense, Aci Campelo; Socorrinha Martins, educadora física (IFPI) e odontóloga; Dino Alves, que recebeu um voto de cobra que envenena com seus cartuns; o fotógrafo publicitário Cândido Neto e sua mulher que adoraram a noite.

Confessaram pessoalmente, estes últimos, ao administrador do Bar do Clube dos Diários, João Vasconcelos, que se divertiram bastante. “Não sabia que o Bar tinha essas atividades tão agradáveis, nos divertimos muito. Vamos voltar”, disse Cândido Neto, ao despedir-se da festa.

Também recebe registro de bordereau o Grupo Cabeça de Sol (Caxias – MA), coordenado por Jean Pessoa e Alinie do Carmo. Eles e o elenco maranhense apresentaram performance pontual.

Entre tradições de memórias coloniais e novos colonialismos adaptados aos contextos do mundo de hoje, Jean, Alinie et al deram recados em meio a burburinhos, aos que dedicaram olhar e aos que, de todos, “estão surdos”. Parabéns ao Cabeça de Sol que, em partitura livre, repercute teatro intervencionista e reflexivo.

Dadas as baterias aquecidas e descarregadas durante o Prêmio Melhores do Ano do Teatro Piauiense – 2014 e o Cobras do Ano 2014, despediram-se concorrentes e premiado(a)s e a noite de 17 de novembro deixou marca de alegria, entretenimento, encontros e despedidas às expectativas de 2015.

À noite de 17 de novembro: cobras, impossível não comprar a ideia. Bravos!!!