sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A Folia é nossa!

Vista-se desta folia!


Daqui a pouco o Clube dos Diários será aquecido pelos foliões que marcarão passos no Salão do Baile dos Artistas 2014.

Essa noite do dia 28 nunca mais será a mesma, depois que a festa se instalar na Galeria do Clube dos Diários.

É a partir das 21 horas e a entrada, um kilo de alimento não perecível.

Quem realiza: SATED - PI, Fundac e Theatro 4 de Setembro.

A Atração musical: Banda Carnavália e Dandinha.

Quem se realiza: artistas, amantes da folia e toda a cidade que sabe curtir essa emoção que o Baile dos Artistas proporciona.

Desdobramentos foliões: escolha da Melhor Fantasia e da Rainha do Carnaval dos Artistas.

Tá pouco ou quer +? Então confira.

Regra básica ao folião: vista uma fantasia, nem que seja só uma máscara. Vale até de papelão e papel crepom. A Máscara Social deve ser trocada pela do carnaval.
Só não vale ir  feito careta. Para melhor prazer, ponha uma careta, seja de boi da cara preta, cuca, saci, pirata, princesa, mocinho, herói ou o que vier a ser.

Tá pouco, ou quer +?

Então confira você mesmo. Essa noite vai dar Baile!


Vista-se desta folia!
Expediente:
Baile dos Artistas
a partir das 21h
na Galeria do Clube dos Diários
passaporte - 1kg de alimento não perecível e uma boa fantasia
e de resto é só Alegria.
CONFERE PRA VOCÊ VER!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

"EXPIA", é Show!

Novidade em revisita de décadas musicais

Hoje, a partir das 20 horas, no Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, acontece o "EXPIA - Show de  compositores piauienses das décadas de 70, 80 e 90". 

A parada reúne os músicos intérpretes Ravel Rodrigues, Mariana Leal, Cauê de Lima, Vinícius Rodrigues e Júlio César. Festejar cantores e compositores de três décadas será o mote de revisitação a essas gerações de artistas da cena musical local.

Para Ravel Rodrigues, músico que se prepara para deixar o estado e assumir vaga de concurso público em Minas Gerais, a ideia surgiu para um show que abrigasse músicas pouco difundidas no estado. Ele acredita que haja um desconhecimento das composições piauienses pelo próprio piauiense. E, na tentativa de curtir o que é daqui, é que "os jovens que formam essa Banda, especialmente para esse show, se muniram de escutar de ouvido algumas músicas piauienses das décadas de 70, 80 e 90", diz. 

O evento "EXPIA" que significa resgate e reparo de erros, trata da vontade do Grupo de tentar sensibilizar os antigos e novos artistas, compositores e músicos, a "estreitarem as relações e quem sabe um dia transformar as composições locais em populares. Pois, de nada vale compor para poucos numa cidade que necessita de auto estima identitária, e sabemos que a música envolve e assim é o melhor portal para isso", completa.

O grupo  que toca na noite é composto por Ravel Rodrigues, Cauê de Lima, Vinicius Rodrigues (integrantes do Banda Eucapiau), Mariana Leal ( já integrou as Bandas Estação Gandaia, Experimental Jetus e a de Edivaldo Nascimento), Júlio César (baterista ativo em apresentações com bandas e artistas locais). A Participação especial fica por conta de Lucas, também da banda Eucapiau.
(Ilustração: Eduardo Santana)

"EXPIA", é só hoje, nesta quinta feira, 27, no "Osório Jr."/Bar do Clube dos Diários, a partir das 20h. O couvert artístico cobrado será de R$ 5,00. Informações 8817 2201, 9405 0037.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Bailes alternativos

Baile e memória musical 


Nesse período de Carnaval, a pedida diferente e dentro da mesma festa é o Baile dos Músicos, com Assis Bezerra e DuoTrio.
As participações luxuosas ficam por conta de Dimas Bezerra e Duda Di.
Os Dias 3 e 4  de março, no Clube dos Diários, a partir das 20h, a melhor pedida é curtir essa folia. 

A entrada ao Baile dos Músicos custa R$ 5. 

No repertório memorial, as Marchinhas tradicionais, axe, frevo, samba, choro e guitarra baiana.
  
(Assis Bezerra/fotos divulgação)

Não dá para perder essa festa, ganhe o carnaval no "Osório Jr."/Bar do Clube dos Diários. A Agenda é o Baile dos Músicos, com Assis Bezerra - Duo Trio.

Segunda e terça feira de carnaval é no centro da cidade, no BCD.
Informações: 8817 2201/9405 4003

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Música nova no mercado

James Brito lança novo
Nesta sexta feira, 21, às 21 horas, o cantor e compositor James Brito lança, no Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, o CD “Estranho”. No show de lançamento, o artista reunirá amigos para noite bem musical e encontros na canção.
(James Brito em apresentação no Osório Jr./divulgação)
O CD “Estranho”, com dez faixas, traz nove composições de James Brito e uma de parceria, “Samba da fumaça”, com os cariocas Haroldo César, compositor e escritor, e Edson Couto, músico percussionista. A música “Samba de fumaça” foi composta em 1997, quando Brito morou no Rio de Janeiro.
James Brito cantará na companhia dos amigos, cantores e compositores, Jorjão, Gomez Brasil, Dimas Bezerra e Caetano BC. O show, de entrada Franca, espera não só reunir o público já contumaz do Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, como festejar mais de duas décadas de trabalho do artista, e nada melhor do que com a apresentação de um novo trabalho gravado.
 O CD “Estranho” foi finalizado em 2013 e agora o artista segue na divulgação. Gravado no Estúdio do Hip Hop, onde também James Brito já havia finalizado o CD “Tá doido, ou tá massa”, este gravado há cinco anos atrás. O CD “Estranho” já tem, pelo menos, nove músicas divulgadas no Youtube. E, ao show de lançamento, o artista promete que será uma noite inesquecível.

James Brito é de Teresina e teve suas primeiras lições musicais em 1987, com um primo. Embalado pelo desejo de vivenciar mais intensamente a música, formou, no início da década de 90, sua primeira banda batizada de Contrabanda, onde apresentava um repertório recheado de MPB, Pop Rock e muito Reggae Jamaicano. Também atuou em outras bandas como: Tokaya, Olhaoxá e Cuscuz de Mamãe. Já tocou com grandes nomes da música piauiense: Dimas Bezerra, Jorjão, Edvaldo Nascimento, Bob Robson, Pizeca, entre outros.

(James Brito, cantor e compositor/divulgação)

O Show de lançamento do CD “Estranho”, na noite do dia 21 de fevereiro, às 21 horas, no Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários. Entrada Franca. Informações: (86) 9409 3029/8817 2201/94050037.

Hoje é dia de Ágase

A canção autoral se lança no Osório Jr.
Nesta quarta feira, 19, o Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários recebe a Banda Ágase, às 19 horas, para mais uma edição do Projeto Quanto Vale o Show?,  que tem preenchido as noites de quarta feira, no cento da cidade, nestes dias de verão.
A Ágase surgiu em dezembro de 2011 e reúne experimentação de colegas de escola e amigos que resolveram reunir um som e uma identidade cultural de MPB. Os componentes, de uma faixa etária de 17 a 18 anos, têm em comum também a mesma área de residência. Naturais da região norte da cidade (Água Mineral, Nova Brasília, Matadouro e Parque Alvorada) e com formação musical auto didata, cada um chegou a um norte de tocar um instrumento e desenhar a música que pesa em seu coração e tino da canção.
 O Grupo é composto por Wanderson dos Anjos, bateria, carron e outros efeitos percussivos; Carla Sabrina, teclado eletrônico, violão base, guitarra base e vocal; Marcos Sousa, violão, guitarra solo e composição; Florêncio Almeida, violão, composição e vocal; Francisco Almeida, baixo.
Cada um foi buscando sua fonte de pesquisa e exercício musical, com passagem por escola formal, aulas com amigos, programas de computador, livros, pegando de ouvido. A música para todos se afinou no desejo de tocar uma canção e compor as próprias experiências a partir de suas curiosidades e vontade de ação musical.
A Banda desempenha música autoral e alimenta-se também de cover, como complemento de repertório. As referências musicais partem de Legião Urbana, Engenheiros do Hawaí, Cazuza, Capital Inicial, Elis Regina e Chico Buarque para as influências das letras autorais que a Banda já ensaia com segurança de aprendiz de feiticeiro.
Marcos Sousa, um dos compositores da Ágase diz que sua experiência pessoal foi de duas semanas na Escola de Música de Teresina e que, no início, só tocava rock, pegava do computador. Em seguida passou a tocar acústico para desenvolver o ouvido. “Depois entrei na MPB, Bossa Nova e abandonei um pouco o rock”, conta. Trouxe a influência do rock para sua repaginada de música que passou a instrumentalizar. Compõe com abertura para Rock e Bossa Nova e deixa que a Banda “escolha em que estilo tocar”, conclui.
Já tocou em eventos escolares, aniversários e outras cerimônias, na Potycabana e, quando pesa para shows mais acústicos, a performance da Banda se estabelece e se adapta ao espaço apenas com violão, carron e vocal. Tem, em seu repertório de profissão, uma outra variação de Banda, outra formação musical para o hard core, a HDoisÓ. E compondo para Velho coração difícil, a juventude do Grupo se impõe. Mas a grande sacada é mesmo tocar rocks ligados em Bossa Nova e MPB.
No repertório autoral, cifram as canções como, O tempo não espera; Eu já me decidi por você; Algum tempo, Cicatriz pelo corpo; Onde está você felicidade; Todos vazios e amigos; Não tanto faz; Tarde demais; Sem nada; Último trajeto; Flores no deserto; Chuva. A pretensão da Ágase é, como todo Grupo, também lançar discos e dividir sua canção com mais gente.
O Quanto Vale o Show?, desta quarta feira, 19, no Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, promete muita novidade e invenção da juventude. A partir das 19 horas, rocks e bossas na partitura da música popular brasileira vão fazer a festa, enquanto o Boca da Noite não vem. A Entrada é Franca. Informações: (86) 9932 0938/8817 6305)

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Paixões Crônicas é show!

A canção solidária
por maneco nascimento
O coreógrafo piauiense, radicado em Paris (França), Chico Terto, em visita à terra natal, reúne amigos de Teresina em evento beneficente nos dias 20 e 21 de fevereiro de 2014, às 20 horas, no Cine Teatro da UFPI. 
O Show « Paixões Crônicas », com direção geral e artística de Chico Terto, contará com a participação de artistas plásticos, arquitetos, músicos, atores, bailarinos, cantores, fotógrafos, jornalistas, para uma “ação justa”, que beneficiará instituições que trabalham com crianças e idosos.
(show Paixões Crônicas/arte Paulo Moura)
O evento também tem objetivo de chamar a atenção da sociedade sobre as carências, no âmbito da proteção da infância e da velhice e mobilizar setores da sociedade (empresários, grupos econômicos, mecenas, jornalistas), para que invistam em eventos artísticos com fins filantrópicos. 
O show festivo quer ainda sensibilizar os indivíduos sobre a necessidade do compromisso social, da participação ativa da sociedade e reunir a excelência e criatividade dos artistas locais em um evento de qualidade.
(show Paixões Crônicas/arte Paulo Moura)
As instituições que serão beneficiadas, com esta iniciativa, são o Lar Frederico Ozanan, Casa São José e Lar de Maria. O show “Paixões Crônicas” está dividido em dois momentos, um para o dia 20 (quinta feira) e outro ao dia 21 (sexta feira).
PROGRAMAÇÃO:
1.      PAIXÕES CRÔNICAS – Vereda Tropical
Quinta-feira. Dia 20, às 20h (duração 2hs)
Instituições beneficiadas (Idosos): Lar Frederico Ozanan, Casa São José.
Artistas e personalidades confirmados, Péricles Mendel (jornalista), Grupo Harém de Teatro, Roraima (violão/voz), Wilker Marques (sax/clarinete), Carol Costa (canto), Garibaldi Ramos (piano), Chico Terto (canto), Glauco Luz (violão/voz), Geraldo Brito (violão), Moisés Chaves (canto), Bruno Moreno (percussão), Ivan Silva (acordeon) e Pe. Luiz Eduardo (padrinho).
2.      PAIXÕES CRÔNICAS – Cabaret Chic
Sexta-feira. Dia 21, às 20h (duração 2hs)
Instituição beneficiada (Crianças): Lar de Maria.
Artistas e personalidades confirmados, Rivanildo Feitosa (jornalista), Josué Costa (violão), Orquestra Tamoio e Chico Terto (canto), Soraya Castello Branco e Carol Costa (canto), Amauri Juca (humorista) e Pe. Francisco Borges (padrinho)
O show “Paixões Crônicas” envolve na Produção os parceiros, NAVILOUCA PRODUÇÕES (administração e difusão), FOCO ILUMINAÇÃO (iluminação) e Gerardo Fonseca (light designer), INTERAUDIO (som) e José Dantas (sound designer), CET-SEG (segurança), CONTRACTA (logística), PAULO MOURA (arte gráfica), GUALBERTO JR (cenários) e Áureo Tupinambá Jr. (set designer) e CHICO TERTO (coordenação e direção geral).

“Paixões Crônicas”, dias 20 e 21 de fevereiro, às 20 horas, no Cine Teatro da UFPI - Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portella, bairro Ininga. Ingressos: R$ 100,00 / 50,00 / 30,00 – Lugares Individuais. Informações: 8828-6872 / 9543-4776 / 3232-2281

Hoje tem Espetáculo

Cena na 3a. Idade
A Terça Cênica, ou “Eu, Você e o Teatro da Minha Vida” realiza mais uma edição de arte e cultura festejada no Espaço Cultural “Osório Jr.”/Bar do Clube dos Diários, nesta terça feira, 18, às 20 horas. A peça da vez será “17 Minutos Antes de Você”, com Vitorino Rodrigues e Júnior Marks, direção de Heraldo Maia e co-direção de Elielson Pacheco, numa produção da Truá Cia. de Teatro.
A montagem realiza um encontro poético com a terceira idade, em dramaturgia contemporânea que se instala com bastante humor e sensibilidade de compor o cotidiano de um casal de velhinhos. O diário de vida da mulher se regula pelo encontro e desencontros na comunicação com o marido, enquanto esta vive a expectativa de assistir a novela de rádio diária. Por outro lado, o marido se ensimesma e interage com a mulher na busca de seu remédio, para pressão arterial, que perdeu em algum lugar da casa.
(o velhinho de Júnior Marks e seus "cachés"/fotos divulgação)
Entre achar o remédio e sanar o temor de não encontrá-lo e a disputa de conversa com a mulher que só tem ouvidos para a novela do rádio, a narrativa vai orientando os ruídos da comunicação entre os velhinhos e a vidinha simples que a idade impõe a quem divide mais que a vivência de marido e mulher, mas também todos os entraves e felicidade que se somam no dia a dia de qualquer casal que vai acumulando idade e convivência variável entre a quietude e os arroubos naturais da terceira idade.
(a vida vista através do rádio/Vitorino Rodrigues/fotos divulgação)
Um casal de velhinhos, simpáticos, ranzinzas, despejam seus silêncios e esperas, em desenho dramático para humor e licenças poéticas. O rádio enguiça e o remédio da pressão não está na caixa. O “caché” desapareceu e o tempo de oito em oito horas, para tomar o remédio, estará comprometido.
A linguagem e os corpos que falam intensificam interpretação minimalista e tecem uma atmosfera que remetem o público ao tempo dos avós, de familiares comuns e as simplicidades domésticas dos mais idosos. A sonoplastia, operada por Giselle Morais, marca meticulosamente o tempo que não passa.
Vitorino Rodrigues (a velhinha) e Júnior Marks (o marido) têm uma química impecável, quando o
assunto é trocar memórias afetivas que marcam identidade de qualquer um da plateia, já que todo mundo tem, ou teve, em casa a convivência muito peculiar com um parente idoso.

(solidão e morte social em 17 minutos.../fotos divulgação)
O Projeto “Eu, Você e o Teatro da Minha Vida”, que acontece sempre às terças feiras, se dá para espaço de cena alternativo e sem cobrança de entrada. Ao final do espetáculo é passado o chapéu para que o público contribua com o trabalho do artista.
O Espaço Cultural “Osório Jr.”/Bar do Clube dos Diários está de portas abertas para, nesta Terça Cênica, receber “17 Minutos Antes de Você”, da Truá Cia. de Teatro. A apresentação, às 20 horas. Entrada Franca. Informações: (86) 8822 6146/9402 5949/9717 3647, falar com Vitorino Rodrigues.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Encontro com a Arte

Cenas de Timon
por maneco nascimento

O Humanitas Grupo de Teatro promoveu, neste sábado, 15, o VI Encontro de Artistas Timonenses. Durante todo o dia, as conversas giraram em torno das manifestações de teatro, cinema, música, dança e outras linguagens de arte e cultura que também tomam forma de ação e efetivação do artista da cidade maranhense e vizinha muito próxima de Teresina.

As ações de teatro e discussões de ampliação do interesse e curiosidade prática do fazer artístico, na cidade de Timon, tiveram local de encontro no Centro de Treinamento de Professores – Professor Wall Ferraz. Pela manhã, a arte se manifestou, em primeira entrada, com “Boa Noite, Cinderela”, da Cia de Teatro e Dança All Street Songs – ASS, com direção e dramaturgia de cena de Vitorino Rodrigues.

Na sequência, Lari Sales abriu uma conversa franca com os presentes. A Presidente do SATED – PI tratou da importância da profissionalização do artista. Rendeu pontos na troca de informações em bate-papo descontraído e bastante produtivo. No turno da tarde, nova bateria da práxis artística em exibição e discussão.

O filme “Loucas por Bananas”, de Jésus Carvalho (Pi), abriu os trabalhos do segundo turno. Uma divertida fita experimental para riso fácil e picardias de apelo histriônico que atrai o público comum ao gargarejo fácil.

Colada à exibição do filme piauiense houve a conversa sobre cinema. Um Talk Show sobre Produção cinematográfica também trouxe ótimo rendimento. Intermediada por Júnior Marks, a hora de falar de cinema, vídeo e publicidade cumpriu a agenda.

Jésus Carvalho, de Teresina; Hasley Andrade e Júnior Vasconcelos, de Timon, falaram de suas experiências e incursões pela arte da fotografia em movimento, adaptações para a telona, crítica, produção, técnicas à criação e resultados alcançados para público e afins.

Músicas de cinemas também foram apresentadas na tarde. Os estudantes de instrumentos de sopro do Núcleo de Pesquisas em Artes Dramáticas – NUPAD, coordenado por Roger Ribeiro, que tem espaço de prática no Espaço Cidadania, demonstraram o exercício da arte educação, compondo resultados.

O Lançamento do Jornal Proposta, com editoria de Roger Ribeiro, antecipou a exibição do filme Sebo nas Canelas”, direção de Hasley Andrade. O longa metragem, um divertido enredo de amor, humor e liberdade de criar diversão e entretenimento. 

O filme se inspira na história de jovens estudantes e o cotidiano em suas estripulias e sobrevivência contadas com muito gracejo. As piadas e cortes acertados, na montagem que realiza o diretor, uma narrativa eficaz de alcançar o público e definir sétima arte em processo de acerto.
(cena do humorado Sebo nas Canelas/divulgação)

O espetáculoEstranho Espelho Meu”, do Grupo de Teatro Buriti, dirigido por Dan Martins, foi a última atração cultural do VI Encontro de Artistas Timonenses. A peça, uma versão satirizada da fábula Branca de Neves. 

Dan Martins, que acumula a função de autor do enredo, diretor e ator, na pele da madrasta de Cinderela, tem um desempenho satisfatório. Empenha rigor e intenções concentradas para uma divertida e bufona Rainha que tem as estratégias, de se livrar da enteada, frustradas pela própria Branca de Neve.
(Dan Martins em Estranho Espelho Meu/divulgação)

Ana Carvalho, a anti-princesa da história, faz o contraponto das maldades em novas e irreverentes maldades contra a sua antagonista. Uma brincadeira que avessa a fábula original, sem desmerecer a intenção de criar nova leitura para tema de domínio de muitas gerações de crianças que viveram as fantasias da Branca de Neve.

Em “Estranho Espelho Meu”, Dan Martins mergulha numa atualização da história infantil universal e dá-lhe nova roupagem que passa pelo escatológico, o ridículo que insufla a experiência encenada de compor o teatro que atraia o riso e não perca a novidade e ousadia de trabalhar personagens que quebram o paradigma. Reverte a tradição em brincadeira que não ofende, gera a arte do fingimento e entretém, enquanto mantém o lúdico e a fantasia na escala do fazer teatral.

Para fechar o dia que reuniu atores, publicitários, diretores de teatro e cinema, professores e amantes da cena, o VI Encontro de Artistas Timonenses rendeu homenagens ao ator e diretor de teatro, Charles Melo, Presidente do Sindicato de Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão do Estado do Maranhão – SATED – Ma. Também recebeu homenagem o publicitário Júnior Vasconcelos e os representantes dos grupos de teatro e diretores de cinema que fizeram parte do evento.

A novidade, gerada durante o VI Encontro de Artistas Timonenses, é que, ainda neste ano, será realizado o VII Encontro e, desta feita, terá o caráter nacional e agregará mais ações, reunidas na Praça São José, centro de Timon. Dois palcos, um local e um nacional, feira, exposições e muita arte em toda parte do espaço geográfico do logradouro da cidade.

O Humanitas Grupo de Teatro, seus parceiros, entre eles o Proposta de Teatro que reúne artistas de Teresina e Timon, e demais grupos das duas cidades que encurtam a geografia dos dois estados, estão de parabéns. Um dia cultural marcou mais um ano e investiu memórias e história do teatro local à esteira do nacional.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Dia cultural

Artistas de Timon discutem cultura


É neste sábado, 15, a partir das 9 horas da manhã, que as baterias estarão ligadas no VI Encontro de Artistas Timonenses, que ocorrerá no Centro de Treinamento de Professores – Professor Wall Ferraz, em Timon, no Maranhão. Numa realização do Grupo Humanitas de Teatro, a 6ª. Edição se confirma para discutir necessidades de promoção cultural que chegue à população da cidade.

O dia de atividades político culturais reúne artistas e técnicos em dos mais diversos lugares e das mais diversas áreas de atuação em espetáculos de diversão e identidade artística.

Há cinco anos que o Humanitas tem insistido em acionar, continuadamente, atividades que deliberem a manutenção do ato cênico e outras práticas fins com a linguagem das cênicas. Neste sexto ano o Grupo homenageia o Presidente do Sindicato de Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão – SATED – Ma, o ator Charles Melo. Outro que será agraciado pelo Humanitas será o publicitário Júnior Vasconcelos.

O Encontro, de Entrada Franca, começa às 9h e se estende até às 21h. A Programação consta de Abertura Oficial às 9 e em seguida, às 9h30 a apresentação do espetáculo infanto juvenil, “Boa Noite, Cinderela”, com o Grupo All Street Songs, direção de Vitorino Rodrigues. O espetáculo tem classificação livre.

Ainda na parte da manhã, às 10h30, a atriz Lari Sales, Presidente do Sindicato de Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão – SATED –Pi, abre uma comunicação sobre A Importância da Profissionalização do Artista. Após a palestra, há uma pausa para o almoço, ao meio dia, e o retorno às atividades será a partir das 14h, com a exibição do longa metragem “Loucas por Bananas”, de Jésus Carvalho (PI).

Às 16 horas, a pauta se centra no Talk Show sobre produção cinematográfica com Júnior Vasconcelos (Ma), Jésus Carvalho (Pi) e Hasley Andrade (Ma). Em seguida, às 17 horas, será lançado o Jornal Proposta, com editoria de Roger Ribeiro (Ma) e, no início da noite, 18h, a exibição do longa metragem Sebo nas Canelas, de Hasley  Andrade (Ma)

Para fechar a programação do dia, o espetáculo “Meu primeiro amor acabou antes de ontem”, com o Grupo Humanitas de Teatro e direção de Júnior Marks (Ma), será apresentado às 20h e às 21h, a solenidade de encerramento. Mais informações: (86) 8808 0115/9983 2052

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Kulturtour, bravos!

África e Brasil
Neste sábado, 15, a partir das 16 horas, na Praça Pedro II, acontece o encerramento do Kulturtour – Djs. O Dj Analog Africa convida Hugo Trincado para uma apresentação cheia de cores sonoras e muita linguagem transversalizada para virtuose musical Brasil/África. Os ritmos se encontram e trocam figurinhas em sonoridades confirmadas de brasis e afros integrados.

Samy Ben Redjeb, DJ tunisiense, naturalizado alemão, que tem como principal característica a dedicação em pesquisas de sons oriundos de países africanos e latinos, apresentará ao vivo verdadeiras raridades musicais. DJ Samy, como é conhecido mundialmente, é criador do selo Analog Africa, com sede em Frankfurt, na Alemanha, em que relança músicas de Afrobeat gravadas nas décadas entre 1960 e 1980, após um garimpo minucioso em sebos e arquivos pessoais e públicos.

Para ouvir: https://soundcloud.com/analog-africa

Hugo Trincado é músico, compositor e produtor musical, atua há 10 anos no cenário musical Brasileiro e tem três discos gravados, sendo o último deles um disco solo intitulado Trincado - Todos os Santos. Já tocou em bandas de Reggae (Regaplanta) e grupos que misturam ritmos Brasileiros como Carimbó, Samba rock e Bossa Nova (Trinco – Guardia Nova). Trincado está em processo de pré-produção do seu novo disco que será lançado em 2014 e tem como anseio novos rumos para sua música aliada a ritmos tradicionais Brasileiros.

Para ouvir: https://soundcloud.com/trincado
https://soundcloud.com/trinco/breque-turvo
https://soundcloud.com/guardianova

A agenda deste sábado, 15, não demora conquistar, devora a audição do público que não perder essa novidade musical que se finca na Praça Pedro II, começando às 16h e se estendendo até às 22 horas. Vale a música, os músicos e as energias que conspiram da cosmologia primordial aos regentes do contemporâneo prospectados.
(imagem divulgação)
Siga esse som.

mais informações do KULTURTOUR:
http://kulturtour.com.br/listing/teresina-piau/

Rock no Quanto Vale o Show?

O Espaço Cultural Osório será para Hardcore Punk
As noites do centro da cidade aquecem sons e música, línguas e linguagens sonoras e melodias de quem canta a cidade. Nesta quarta feira, 12, às 19 horas, no Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, acontece mais uma edição do Quanto Vale o Show?, e desta vez a Banda Joevas manda ver.
A terceira edição do Quanto Vale o Show? reúne meninos que cultuam o rock para planos, desejos, e a extensão da vida para arte musical apaixonada. A Banda Joevas começou a gestar intenções em julho de 2012 e, já em Agosto do mesmo ano, quando os irmãos Smith Costa e Alisson Stênio decidem montar uma banda para tocar rock, Stênio convidou Luan, Smith convidou Alisson e Julio César e estava selada a confraria para rocks.
(Joevas posa à posteridade/fotos divulgação)
Banda formada, deram início as atividades, mas passou um tempo parada, pois havia componentes que viajavam a trabalho e diminuíam os encontros dos músicos. Em Julho de 2013 a Joevas voltou a tocar com força total, trazendo musicas críticas com riffs pesados, uma grande mudança já que a Banda tinha um estilo mais pop. Surgia o Hardcore Punk na veia.
Linkin Park, Detonautas, Nirvana, Racionais Mc’s, Avenged Sevenfold, Slayer, Slipknot, Ratos do Porão, Metalic, Rodox, Raimundos, Garotos Podres, Iron Maiden, Pantera, Sistem of a Down são algumas das influências que a Joevas traz na bagagem musical distendida.
(Joevas em irreverência in rock'n roll/fotos divulgação) 
Formada por Smith Costa, vocal; Alisson Stênio, guitarra solo; Alisson Donald, guitarra base e voz; Luan Alves, no baixo, e Júlio César, na bateria, a Joevas confirma projeto dos irmãos Costa, especialmente de Smith Costa que defende que, manter a Banda acesa representa muito tempo dedicado ao som de atração estética e linguagem sonora. Smith Costa diz que como todos trabalham e têm pouco tempo para os encontros e ensaiosa gente se dedica ao máximo. Tocamos por amor. Todos gostam de rock e a Banda representa praticamente cinquenta por cento da vida de todos nós”, confessa.
Quanto Vale o Show? Vale, nesta quarta feira, 12 de fevereiro, a presença da Joevas que assegura não deixar ninguém reclamando. A partir das 19 horas, no Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, o rock hardcore punk vai pegar corda. Avisa-se aos navegantes, a Entrada é Franca!

Direitos Humanos e Diversidade

Na pauta da cidade

Será aberto na quinta feira, 20 de fevereiro, às 19 horas, no auditório da OAB, o I Seminário de Direitos Humanos e Diversidade. O evento segue até dia 22 com uma diversidade de palestras que interrelacionam o tema do encontro.

Após a Solenidade de Abertura, já às 19h30, acontece a Conferência: O direito à não-discriminação, com Roger Raupp Rios (Doutor em Direito -UFRGS, Juiz Federal, Professor do Curso de Mestrado em Direitos Humanos da UniRitter - Porto Alegre/RS).

A programação segue nos dias 21, manhã e tarde, e 22 no turno da manhã.

21 de fevereiro

8h –Palestra – Direito à reprodução e à sexualidade: uma questão de ética e justiça - Rosângela Talib (Mestre em Ciências da Religião, integrante da ONG feminista Católicas pelo Direito de Decidir)

•10h – Palestra: Reconhecimento de direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais - Rosângela da Silveira Toledo Novaes (Secretária da Comissão Especial da Diversidade Sexual do Conselho Federal da OAB – Coordenadora das Comissões da Diversidade Sexual da OAB e do IBDFAM)

14:30h – Palestra: Direito Animal: fundamentos éticos e jurídicos - Savina Luciana Sá de Moura (Advogada voluntária da APIPA, professora da Faculdade Maurício de Nassau)

•16:30h– Palestra: A evolução dos direitos das pessoas com deficiência - Hélder Sousa Jacobina (Advogado, membro da Comissão de Defesa das Pessoas com Deficiência da OAB/PI Professor do CEUT)

22 de fevereiro

8h – Palestra: O racismo é contrário ao Direito - Luislinda Dias de Valois Santos (Desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça da Bahia)


•10h – Mesa-redonda: O Papel do Estado no combate à discriminação - Eugênia Nogueira Villa (Delegada da Polícia Civil do Piauí, Professora da UESPI e NOVAFAPI) e Myrian Lago (Promotora de Justiça).

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Cultura musical

Valeu o Show
maneco nascimento

O Quanto Vale o Show?, da noite de 5 de fevereiro, no Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários,  valeu a agenda. 

A Banda Vanguarda Nacional foi ritmo e rimas de poesia e música cadastradas no cancioneiro brasileiro e suas boas incursões pela composição autoral.

Quem curtiu a Vanguarda Nacional, não saiu sem a sensação de o quanto valeu o ótimo show. Bom público, boa assistência concentrada e o diverso reunido no templo das já tradicionais noites de quarta feira. Esaú Barros, com seu registro vocal, carisma e repertório afinado, conspirou muito prazer em cantar na companhia luxuosa dos sons da Vanguarda.  Ninguém queria ver a noite encerrada.

Foram duas horas, de som, variáveis entre ares do pop, rocks de tradição e modernidade, mpb e toda uma seleção musical que jogou qualidade e verve de partida vencida com gol de placar. O Quanto Vale o Show?, Projeto que ocupa as noites vagas do Boca da Noite, até que este se reintegre na temporada de 2014, já deu certo em sua segunda edição.

Os amigos do Clube do Boca da Noite vieram conferir a novidade e não largaram mais a pauta. Sorte da iniciativa que se estabelece e mantém as quartas feira acesas e dentro do perfil cultural de atrair a atenção e continuidade da cidade musical.

Vanguardismo de releituras musicais e virtuoses composicionais, juventude rindo em felicidade da arte visibilizada, linguagens transversais no tempo da canção brasileira e muita, muita música para preencher a partitura em corpo de sonoridade local. 

Essas novas Bandas, que cantam a voz de seu tempo, revigoram a dinâmica de propósitos de arte e cultura para a cidade que não tem como ter + fim.

O Quanto Vale o Show?, ao entrar na Estação de Lançamento, 29 de janeiro de 2014, apresentou a Banda Rua de Aluguel.

Nesse último dia 5 de fevereiro, trouxe a Vanguarda Nacional e para a quarta feira, 12, a novidade será a Banda Ágase, que reúne jovens artistas da zona norte da cidade. E assim caminha a humanidade que gera música local e preencherá o Projeto, enquanto houver fôlego para encantar nas noites de quarta feira.

Quarta vale esse Projeto? Vale a interatividade de música e de novos nomes que germinam sua arte na cidade de Teresina que conta-se apta a ser musical. Quanto Vale o Show? Confira as próximas noites de quarta feira e curta essa emoção.

Sempre a partir das 19 horas, é hora de diversão, entretenimento e cultura e arte permutadas. É canção brasileira que chega nesses dias de verão.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Vai um Show aí?

Quanto Vale o Show?
Nesta quarta feira, 5, acontece + uma edição do Projeto Quanto Vale o Show?
O Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários recebe, nesta quarta feira, a Banda Vanguarda Nacional, para pops, rocks e mpbs revisitadas e + as composições autorais.
O Quanto Vale o Show?  projeta novas Bandas, que estão aquecidas na cidade e sem oportunidade de lançar-se nos palcos de Teresina. O Projeto estreou em 29 de janeiro de 2013. Quanto Vale o Show? chega para sua segunda edição.
A noite será de vanguarda. Tons, sons e instrumentos ampliam códigos e signos musicais. A Banda Vanguarda Nacional mostra a cara, no Espaço Cultural Osório Jr., a partir das 19 horas, e confirma Projeto que concentra estação de lançamento da nova e instigante canção brasileira.
(Esaú Barros e a Vanguarda/fotos divulgação)

A Vanguarda Nacional surgiu em 2011, a partir da reunião de um grupo de amigos que sonhava em ter uma Banda de Rock’n Roll. A princípio, o repertório continha apenas músicas cover de nomes nacionais. Capital Inicial, Barão Vermelho, Cássia Eller, Alceu Valença, entre outras peças do caleidoscópio musical brasileiro. Mas o projeto cresceu e as músicas autorais surgiram naturalmente e, hoje, fazem parte indispensável do repertório do Grupo.
(na vanguarda da MPB e rock'n roll /fotos divulgação)

A Banda já fez carreira no Festival de Inverno de Pedro II, em 2012, e o Festival de Verão de Luiz Correia 2012. Na cidade, cumpre serviços em casas de shows e espaços naturais a grupos musicais de identidade e cultura de intervenção local.
(Vanguarda Nacional/fotos divulgação)

O Quanto Vale o Show? vem preencher as pautas das quartas feiras, do Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários, nesse período de recesso das edições do Projeto Boca da Noite, mantido pelo Governo do Estado, através da Fundac.
 A proposição do Quanto Vale o Show? é abrir espaço de lançamento às novas Bandas de Teresina que ainda não tenham tocado em ambientes profissionais e correm atrás do prejuizo, buscando oportunidade de sentar praças musicais.
Lançar novos grupos, cantores e compositores, Bandas autorais e as novas gerações da canção da terra. O Projeto é aberto a todas as linguagens musicais e ainda está recebendo inscrições. Os interessados devem procurar o Bar do Clube dos Diários e apresentar a proposta de incluir-se no Quanto Vale o Show?
 As apresentações acontecem, sempre a partir das 19h. A entrada é Franca. É de estímulo aos novos artistas-músicos , trazê-los ao palco do Osório Jr. e manter o público regular do Boca da Noite às novas iniciativas e tendências de Bandas autorais. 
Nas duas horas de show, as Bandas defendem a própria identidade e, ao final, é rodado o chapéu. De entrada Franca, os shows não cobram couvert artístico, mas solicitam uma compensação livre do público, para compensar o artista por sua prestação de serviço.
Expediente:
Quanto Vale o Show?
 Quarta feira, 5
 às 19 horas, 
Espaço Cultural Osório Jr./Bar do Clube dos Diários. 
A Banda da noite, Vanguarda Nacional. 
Informações: (86) 8817 2201/9405 0037.